Protagonismo na Carreira – com diretor do Facebook

5 minutos para ler

O Vamos Subir, startup social que ajuda jovens no início de carreira a ter sucesso a partir de sua mudança comportamental, realizou live no mês de setembro de 2020, com Luciano Santos, que trabalha no mercado de tecnologia há 22 anos.

Luciano Santos trabalhou em empresas como Uol, Google e está há 4,5 anos no Facebook. Atualmente, é diretor de vendas no Facebook, além disso, ele atua no ramo de educação corporativa e carreira.

Luciano, o que te deixa orgulhoso por trabalhar no Facebook?

Primeiramente, ele inicia sua fala alertando sobre o marketing digital que é um movimento que ainda está crescendo no Brasil, mesmo a economia do Brasil não estando tão favorável.

E, quando questionado sobre o que a pessoa precisa ter como competências para atuar no marketing digital, Luciano diz que não é preciso ter formação em marketing digital, mas é preciso aprender o que é marketing digital.

Além de ter outras características pessoais, tais como: ser curioso, porque é um ambiente que sempre muda muito; gostar de ajudar empresas a ter sucesso; a vender mais etc.

Ele chama a atenção para o uso do WhatsApp como um canal de vendas muito poderoso principalmente para os pequenos empreendedores. 

A pandemia mudou muita coisa, trouxe novos paradigmas. E, o que muda de agora para frente? Como você enxerga a relação das empresas e funcionários?

Luciano diz que as empresas, hoje, quando vão contratar, elas procuram primeiro qual a Universidade cursada, depois quais as hard skills (habilidades técnicas) e depois fazem alguns testes etc.

Para o futuro, essas ações estão caindo por terra, ele acredita numa revolução ao fazer o processo seletivo de agora em diante.

As empresas vão buscar ter em seus ambientes corporativos uma pluralidade de ideias e as pessoas vão concorrer com um pé de igualdade maior.

Qual o desafio de gerenciar a diversidade nas empresas, bem como os benefícios da diversidade dentro das empresas?

Luciano ilustrou um caso de um cliente do Facebook que fez e lançou uma campanha de um produto voltado para pessoas brancas e cabelo loiro etc. E, uma das pessoas da equipe do Facebook questionou ao cliente se ele já havia feito um teste com atores negros para promover o produto.

O cliente disse que não, mas resolveu tentar fazer isso, e o resultado foi um sucesso de vendas.

É onde entra o olhar da diversidade que tende está mais forte nas empresas no futuro, segundo ele.

A diversidade com a união de forças, a empresa fica mais eficiente, ela se torna mais lucrativa para todos e, assim, tende a crescer mais.

Como você enxerga o peso e a importância das soft skills, hard skills e o que o profissional do futuro precisa ter para estar no mercado de trabalho?

Para Luciano, empresa nenhuma contrata uma pessoa somente com base nas competências de soft skills, portanto, é importante ter uma base técnica, fazer cursos, treinar a escrita, capacidade de comunicação etc.

Claro que as soft skills serão cada vez mais pedidas. Mas a empresa do futuro vai contratar pessoas mais “plurais”, ou seja, quanto mais experiência, exercício, aprendizados, mais a pessoa ficará com uma bagagem potencialmente mais rica.

O que abre espaço para essas pessoas no mercado.

Tudo está mudando muito e, com isso, as pessoas com múltiplos interesses em aprimoramento pessoal terá vantagens e oportunidades.

Complementando, quanto mais conhecimento, mais networking e aprendizados, os soft skills vêm como consequência, e as oportunidades são maiores.

Por exemplo, se a pessoa fez um curso de teatro, precisa inserir no currículo? Sim, isso agregar valor.

Flávio Valiati complementa que abrir o leque, ser plural, abrir a visão, isso em algum momento vai te conectar e abrir portas. E, a gente vive numa época que é importante ser generalista, podendo agregar valor numa área que não seja a sua.

Luciano questiona: qual o principal motivo de ansiedade das pessoas no trabalho? Seria a tomada de decisão? Por exemplo, se mudam de área ou não, se falam com a gerência ou não… então as pessoas não conseguem tomar uma decisão, geralmente.

Outro ponto: comunicação, “as pessoas são incapazes de se comunicarem com seus líderes; isso é impressionante”!

Luciano diz que precisamos declarar nossas intenções, por exemplo, se não sabemos como somos avaliados, temos que perguntar isso para nosso chefe. Se você quer ser promovido, é preciso perguntar o que falta para ser promovido, e por aí vai.

É a questão da comunicação, um dos pontos mais importantes que existem. Se não declaramos nossas intenções, isso atrapalha muito.

O que você considera um fator chave para fazer um movimento, assumir uma posição de liderança ou sair de uma empresa? O que levar em consideração?

“Em minha opinião, o que me tira da minha zona de conforto, que me proporciona aprendizados, com boa energia etc”.

“Vejo se é um lugar que me permita ter equilíbrio entre vida pessoal e profissional”, ele diz que não está disposto a doar 100% de sua energia.

Ele valoriza ter tempo para projetos pessoais e ficar tempo com sua família.

Concluindo

Neste conteúdo, você conferiu um resumo de uma live feita com Luciano Santos, diretor de vendas no Facebook.

Ele compartilhou sua trajetória de início de carreira e sobre valores, sonhos, aspirações, e de modo a motivar e inspirar pessoas que estão ainda incomodados na posição que atuam, sobre o futuro e muito mais!

Assista o webinar na íntegra para melhor assimilação desse conteúdo e tenha uma carreira de conquistas, acesse: Live completa no YouTube

Você também pode gostar

Deixe um comentário