O futuro do trabalho e as práticas de Gestão de Pessoas do Magazine Luiza

7 minutos para ler

O futuro do trabalho e as práticas de Gestão de Pessoas do Magazine Luiza

Em uma live feita no último 29 de julho, que trouxe Luiz Massad, diretor de Gestão de Pessoas do Magazine Luiza, hoje com 40.000 colaboradores, o tema abordado foi O Futuro do Trabalho.

Houve importantes insights sobre uma série de fatores em relação às práticas da empresa na área de RH, carreira e desenvolvimento pessoal.

A seguir, você verá os principais aspectos que foram abordados que refletem as tendências do futuro do mercado de trabalho e das práticas do Magazine Luiza.

Vem conosco! Pois consideramos de fundamental importância refletirmos a respeito desses assuntos.

A cultura empresarial e nossos valores

Podemos dizer que nenhuma empresa consegue se adaptar à uma situação de crise, por exemplo, se não houver um planejamento prévio ou não tiver uma cultura ou decisões que são tomadas previamente.

Afinal, não é no momento que a crise chega que devemos agir.

Isso tudo é um processo de construção diário.

E procurar uma empresa que te traz oportunidades e que case com seus valores e propósitos, isso é muito importante.

Pincipalmente para os jovens, é muito importante que eles comecem a refletir… por exemplo: eu concordo com esses valores da empresa em que trabalho ou pretendo trabalhar? Com essa tomada de decisão?

Outra questão: um bom salário é importante? Sim, claro! Mas a gente não pode trabalhar em algo que seja incoerente com nossos valores e propósitos. Então tem que haver um equilíbrio entre esses fatores.

E, nem sempre a gente consegue encontrar uma empresa ou ambiente que nos proporciona tudo isso.

A cultura é construída justamente quando você é coerente ao seu propósito.

O que olhar na empresa em que a gente gostaria de trabalhar?

É importante identificar os fatores que nos motivam numa organização, por exemplo: é ter mais autonomia? É poder imprimir sua marca? É ter oportunidades de aprendizagem?

Às vezes, você cobiça pelas oportunidades de aprendizagem que no momento atual não serve para sua carreira, mas chega um momento em sua vida profissional, que tudo que você aprendeu ajuda a abrir oportunidades para você!

Então é importante observar a cultura da empresa onde você quer trabalhar, os valores, e o que você vai aprender nessa empresa etc.

Esses fatores todos têm que fazer sentido na sua escolha.

Afinal, o que nos motiva? E qual legado queremos deixar?

Chega um momento da nossa carreira que a gente se pergunta “O que fiz até aqui”? “O que deixei para a sociedade?” “Qual é meu legado?” “O que quero deixar como legado?”

Construir algo dentro de uma organização que você sinta orgulho, que você olha para trás e pensa, nossa, “Nossa, eu fiz parte disso”!

É comum vermos empresas com remuneração melhor, cargos com hierarquia maior etc. Mas ao final do dia, os motivadores extrínsecos, como cargos e salários, não são aqueles que vão fazer nossos olhos brilharem.

Por isso, avalie muito o que te motiva, o que te conecta, por exemplo, numa segunda-feira, pense que você fará algo que é muito relevante, que te enche de orgulho de contar… é querer contar para todos o que você está fazendo…

Um grande orgulho é poder contar para sua família o que você fez na semana. Isso é um fator motivador muito forte e conecta com aquilo que você é.

Quando a gente fala de protagonismo, de legado e propósito, tudo isso é muito forte, que faz nosso coração bater mais forte. E ninguém consegue deixar um legado notável se a gente não assumir o papel de protagonista.

A gente não pode nunca delegar nosso papel de protagonismo para uma outra pessoa. A gente não pode ser coadjuvante em nossa própria história.

Se você “partisse” hoje, você faria falta para as pessoas?

Talvez o principal insight até para os jovens em início de carreira é assuma seu papel! Por exemplo, de você “partisse” hoje, você faria falta para as pessoas?

Isso talvez não esteja claro para você hoje, mas se você tiver ambição, tiver vontade de impactar positivamente as pessoas, deixar algo bom para elas, você tem que começar agora!

Porque a gente faz com que a segunda-feira seja melhor que a sexta-feira. É interessante na segunda-feira, você procurar identificar aquilo que te desafia. A gente precisa disso.

Precisamos procurar fazer aquilo que nos deixam satisfeitos.

O papel da área de RH hoje: o que está em alta?

O que está muito em alta hoje é a área de saúde e segurança. Que antes não tinha tanta visibilidade.

Mas a parte de desenvolvimento organizacional (DO) é hoje o coração da organização. Ou seja, é a área que pensa no desenvolvimento pessoal voltado para o autoconhecimento, mindfulness, desenvolvimento de habilidades, inteligência emocional, dentre outros fatores.

Inclusive, o Magazine Luiza vem trazendo profissionais como psicólogos e psiquiatras para conversar com seus líderes no intuito que eles possam gerenciar em suas equipes nesse quesito: a inteligência emocional, isto é, como as pessoas devem lidar com suas emoções.

A parte do desenvolvimento organizacional é que busca compreender como está sua cultura e as práticas da organização, de modo que ela possa manter os colaboradores felizes para que a empresa tenha resultados.

O Magazine Luiza valoriza muito por essa parte de ouvir e acolher as pessoas, de buscar o engajamento delas, de oferecer segurança psicológica, isso tudo para a busca por melhores resultados.

As pessoas precisam sentir seguros para sugerir uma nova ideia

para uma inovação, e de modo que as pessoas sintam que não serão criticadas em sua opinião.

Tudo isso faz parte da área de desenvolvimento organizacional.

Portanto, a área que pensa tudo isso dentro do setor de RH, é o desenvolvimento organizacional. E também procura entender o que não está funcionando, bem como a qualidade da liderança, vai compreender como está o reconhecimento e carreira das pessoas, se a empresa está sendo meritocrática ou não, dentre outros.

A área de DO portanto, é fundamental dentro de qualquer organização.

Como se destacar num ambiente de trabalho?

Luiz Massad ressalta que para isso, é preciso ter interações e acordos entre colaboradores e seus líderes, e recomenda que os colaboradores questionem sobre o que eles podem fazer e entregar e agregar, seja em foram de projetos ou outra atividade, esses acordos são fundamentais.

É preciso ainda que haja um certo afastamento da liderança no comando e controle, típico da época da Revolução Industrial, que era preciso uma maior supervisão etc. Isso já não funciona mais…

Hoje, é preciso que nesses acordos, como foi falado, haja mais autonomia, bem como, cada colaborador precisa entender o que é esperado dele no trabalho.

E isso servirá para que os líderes possam monitorar a respeito dos resultados esperados de cada um.

Quais são os valores do Magazine Luiza?

Quem busca uma oportunidade de trabalho no Magazine Luiza, segundo Luiz Massad, é preciso que o candidato possua valores e habilidades voltadas para a parte de versatilidade, que goste de verdade lidar com gente, que possua respeito ao próximo, que tenham otimismo em relação ao futuro e iniciativa para fazer acontecer e mostrar resultados.

Como o Magazine Luiza lida com a diversidade?

Uma vez que o Magazine Luiza possui mais de 40.000 colaboradores. Como é feita a gestão da diversidade?

A empresa é defensora da diversidade, sendo que ela trabalha com frentes no que tange ao combate à violência feminina, por exemplo.

Inclusive, com a questão da Pandemia que também afetou a empresa e levou muitos a trabalhares ao home-office, foi preciso fazer mudanças de mindset na cultura interna, pois havia pessoas com uma diversidade muito grande.

Para a empresa, na gestão da diversidade, várias cabeças pensando de forma diferente é fundamental para que a empresa encontre as soluções necessárias e relevantes para um problema.

Quer assistir o conteúdo na integra? Assim agora no Youtube.

Você também pode gostar

Deixe um comentário